Hoje Em Dia Há Mais Mães Solteiras Do Que Nunca!

iStock-542928592-1200x800.jpg

Chellitos! Hoje em dia é muito mais fácil verem mães solteiras do que antigamente? Porquê? 

Ultimamente tenho visto mais mães solteiras do que nunca! Especialmente no supermercado com os seus dois filhos, o mais novo no carrinho e o mais velho de mãos dadas... Sem anel de casamento e homem à vista, talvez já grávida de outro bebé que faz me questionar como ela vai sustentar aquelas crianças sozinha? 

Na minha observação tem constatado que a nossa geração não parece valorizar tanto o comprometimento e a paciência como a nossa geração no passado...Estamos mais preocupados em estarmos bem connosco próprios do que manter a família unida. Acredito que se nos restauramos o valor da palavra família e o bem estar das nossas crianças, nos iríamos ver  menos crianças a crescerem com pais solteiros. 

Relacionamentos deixaram de ser relacionamentos. Hoje em dia é mais a base de favores do que qualquer coisa. Homens e mulheres estão juntos por conta do proveito que podem retirar um do outro. Para algumas mulheres, isso é tão simples como um dinheiro extra para estabilidade. Para alguns homens, é tão simples como a satisfação de necessidades sexuais. Isso é bom mas normalmente não leva a um relacionamento duradouro e amoroso. Hoje em dia é só “ O que podes fazer por mim?” E “O que fizeste por mim ultimamente?” Obviamente os dois vão cada um para o seu caminho, a seguir outro e assim sucessivamente, inevitável não haver mães solteiras.  

Muitas das vezes há mais mães solteiras pelo o facto de os homens não darem um passo à frente no próprio prato que comeram. Isto significa que a muitos deles nunca tomaram a iniciativa de tirar  proveito do melhores deles então como possivelmente eles vão poder providenciar uma família? Ao invés de esperarem por um homem para se juntarem, as mulheres não têm escolha senão arriscarem e tentarem a sorte, para que os seus filhos não cresçam sem uma presença paternal.

Porque Chellitos? O que vocês acham? 


Marcelo Van DunemComment